Os Jornais do Tenente Eli Price da UEEN

Depois de muita ponderação, os editores da revista Discovery decidiram liberar trechos do famoso Tenente

CEO/Presidente Lider (handle)

Handle Link

Email de contato e alistamento

  • Tipo de Profissao

  • Tipo de Compromisso

  • Tipo de Roleplay

DiscoveredFI2

[Explicito]

Os editores da Discovery passaram dias decidindo se iriam publicar os artigos sobre a descoberta do sistema Oya. Em última análise, foi decidido que independentemente de como nos sentimos sobre o contexto, esta é uma transcrição válida do que aconteceu.

Durante o auge do reinado de Ivar Messer como o primeiro Imperador da UEE, Tenente Eli Price era um piloto de combate Naval designado na UEES como parte de uma linha defensiva que tinha como responsabilidade proteger  o Império contra os Xi’An nas redondezas. Os trechos a seguir foram tirados de sua segunda turnê.

2587-11-29_06:31 SET

LOCAL: Castra

Terceira semana… mal posso acreditar que já se passou tanto tempo… seja como for, acabamos de organizar a terceira varredura da patrulha. Acho que o Forbes estava pilotando minha nave no último turno. As configurações estão diferentes o suficiente para ficarem extremamente irritantes. O que, como todos a bordo da Virtue sabem muito bem, é a marca registrada do Forbes. Para colocar tudo de volta no lugar, levei uns dez minutos a mais durante o pré-lançamento.

Enfim. Tudo limpo no primeiro posto de patrulha. Ainda há alguns destroços do cargueiro que perdemos ontem. Nem sinal do que quer que esteja atacando nossas rotas de comércio. Precisa ter muito peito pra aprontar uma dessas por aqui. Devem ser espertos também, já que só estão atacando cargueiros pequenos, de um só piloto. É por essas e outras que deveríamos colocar escoltas para todas as naves. Ainda mais agora que, com o alistamento militar obrigatório instaurado pelo Imperador Messer, temos mais gente que o suficiente.

Tentei sugerir ao Aki que escondêssemos uns fuzileiros em um cargueiro e torcêssemos para ele ser atacado. Eu pagaria para ver a cara deles quando atravessassem a escotilha apenas pra dar de cara com um bando daqueles psicopatas.

Ah, porra, Forbes! Você é a única pessoa na história que inverte as setas nas telas de toque.

A caminho do posto de controle dois.

2587-11-30_14:28 SET

Local: Castra

Os filhos da puta sorrateiros nos atacaram de novo. Um T-6 foi saqueado assim que entrou no sistema. A pilota estava morta antes mesmo de saber o que a acertou. O Aki mandou todo mundo pra fora, na tentativa de impedir a fuga, mas é claro que já não havia nem sinal deles. Fugiram de novo.

Encontrei um de nossos containers suprimentos à deriva num canto do espaço. Tenho certeza de que é uma mensagem. Eles estão rindo de nós.

2587-11-30_14:28 SET

Local: Desconhecido

Encontrei eles…

Não acredito nisso.

Desculpe-me. Vou começar de novo.

Comecei a achar que talvez nós estivéssemos procurando nos lugares errados. O Aki nos mantinha vigiando pontos de salto e planetas, na esperança de que esbarrássemos com um esconderijo ou sei lá o que.

Estive pensando… e se aquela caixa não tivesse sido abandonada de propósito? Se eles estivessem tentando chamar nossa atenção, haveria vários lugares melhores para larga-la.

Então voltei para o local onde a encontrei e esperei. Assisti àquele container rolar suavemente por horas. Não havia nada num raio de alguns milhões de quilômetros. Até que havia.

De repente uma nave estava lá. Seus medidores estavam muito baixos, tornando o barulho usual de seus scanners quase imperceptível. Mas eu estava de olho, e acontece que eu estava ainda mais quieto do que eles. Não vi a coisa se aproximar. Num momento ela não estava lá, no outro estava. E isso só podia significar uma coisa.

Ela veio de um ponto de salto.

Foi assim que eles foram capazes de escapar de nós por tanto tempo, enquanto nós estávamos tentando fechar as fronteiras como idiotas.

Assisti a nave prender o container ao seu compartimento de carga e, então, ligar os motores. Rastreei sua posição exata enquanto ela manobrava e voltava ao ponto de salto.

Feliz por não haver outras naves por ali, dirigi-me silenciosamente até sua posição. Pensei em mandar um chamado de ajuda, mas eu sabia que o Aki daria um jeito de dizer que ele encontrou o ponto de salto sozinho.

Então eu percebi o que eu estava prestes a fazer. Sempre li relatos sobe travessias manuais de ponto de salto e, é, sempre achei que seria incrível tentar. Mas, agora, confrontado com a realidade de ter que fazê-lo? Eu estava assustado pra caralho.

Coloquei a nave no ângulo de aproximação exato, inicializei o registro de navegação e iniciei o dispositivo de salto. Acelerei e parecia que nada acontecia enquanto a nave sacodia pelo espaço sideral. Gostaria de me lembrar do que fiz, mas foi tudo por instinto e meio às cegas. Parecia que duraria pela eternidade. E então acabou.

Meus scanners não foram capazes de identificar nenhum ponto de referência. Foi quando percebi que era um novo sistema. Que sensação inacreditável. Eu deveria ser apresentado ao Ivar Messer por esse feito. Algo dessa natureza sempre repercute, né? Porra, é um novo sistema. Quem sabe que tipo de recursos pode haver aqui? Minha mente estava acelerada com todas as possibilidades, com tudo o que essa descoberta significaria para a Humanidade… até que me lembrei o que me trouxe aqui.

Fui em direção ao planeta que espreitava próximo ao salto e, é claro, encontrei os bandidos batendo ponto lá. Fui capaz de manter os sinais da nave baixos o suficiente para observá-los. Enquanto eu tomava notas e mais notas a respeito da quantidade de naves, suas classes, seus armamentos e defesas, algo parecia estar fora do lugar.

Ao interceptar suas comunicações, ouvi que eles receberam uma dica sobre a movimentação de outro de nossos comboios. Esta teria uma carga valiosa, e apenas um par de naves estaria fazendo a escolta. Eles discutiram se iriam atacar ou não. Uma das vozes, que eu não saberia dizer se era de um velho ou apenas de um rouco, se opôs veementemente ao ataque – não por causa de uma justificativa tática, mas porque ele sabia que combater a escolta significaria morte: fosse para um lado, fosse para o outro. Ele se recusou a “passar dos limites”, como ele disse, a despeito de como ele se sentia a respeito da “ditadura” (novamente, palavras dele).

Foi estranho. Eles não pareciam em nada com o sindicato de ladrões que nós havíamos combatidos no passado. Esses pareciam pessoas comuns. Quando penso nos cargueiros que eles atacaram, fico com a impressão de que eles só pegaram coisas que poderiam ser usadas para sua sobrevivência.

Não sei. Continuarei ouvindo.

2587-12-02_07:56 SET

Local: Castra

Não é preciso dizer que, quando voltei à Virtude, eu estava meio dividido.

Nem de longe aquele era o grupo criminoso sedento de sangue que eu imaginava enquanto os caçava. Eles estavam apenas tentando sobreviver naquele Sistema desconhecido, longe do resto da Humanidade. Mas eles estão infringindo a lei, roubando. A lógica deles não importa, por que eles seriam diferentes de criminosos que roubam por ganância? Essas pessoas estão sendo egoístas demais.

Há pessoas que trabalham para viver, que estão trabalhando para tornar a visão de Messer de uma humanidade melhor vir à tona. Eles não podem abandonar suas responsabilidades e o que é certo, só porque discordam. Não, eles devem ser julgados com o mesmo padrão que eu seria.

Eu fui até a ponte de comande e relatei tudo o que tinha encontrado.

As equipes de ataque garantiram o sistema e foram capazes de recuperar a carga roubada. Eles também dizimaram os habitantes. Apanhando um a um quando eles tentavam fugir do sistema.

Capitão Jessol acenou para mim. Ele quer me dar os parabéns pessoalmente por neutralizar a ameaça fora da lei e expandir o Império humano.

Eu fiz a coisa certa… certo?

Categorias
Lore
Sem Comentários

Deixe uma Resposta

*

*

RELATED BY